sexta-feira, 14 de novembro de 2008

JOSÉ DINIZ GRILO DE MELO

Faleceu no último dia 10 de novembro o genial artista plástico DINIZ GRILO, criador da capa do livro "GENEALOGIA DOS TRONCOS FAMILIÁRES DE GOIANINHA-RN"

Essa é a homenagem feita por seu admirador, o jornalista Vicente Serejo, no Jornal de Hoje, na coluna Cena Urbana, dia 12 de novembro de 2008.

Cena Urbana

Colunista: Vicente Serejo


DINIZ GRILO

Fomos vizinhos esses anos todos. Ele vivendo os verões desde os tempos de menino no mesmo casarão, diante do mar, onde morou nos últimos vinte anos. Vivia sozinho, cercado de quadros, com um quintal sombreado de bananeiras e coqueiros e seus dois cachorros. No verão do ano passado, pintou a casa em cores fortes e formas retas como as casas da Boca, de Buenos Aires. E como suas cores que ardiam - vermelhos, amarelos e azuis. Como se fossem quadros. Nossa casa da Redinha, parede-e-meia com a dele, tem vários quadros seus. Dois duplos, um deles com o desfile dos 'Cão', e que recebeu o primeiro prêmio da Bienal Naïf, de São Paulo. Ele mesmo gostava de se deixar fotografar e filmar ao lado do quadro e sempre dizia, como declarou num documentário de tevê do seu site, que os 'Cão' da Redinha abriram as portas não só de São Paulo, como fora do Brasil, pela singularidade plástica de suas figuras. Sonhava com a vida saudável, de caminhadas na beira do mar nas manhãs calmas da Redinha, mas era mesmo um grande notívago. Nas madrugadas havia sempre uma luz acesa na sala dos fundos, onde vivia a maior parte das horas, a partir do meio-dia. Mas, na sua solidão, não abria mão do telefone e, nos últimos anos, do computador. Sua página no orkut tem 13 mil recados, fotos, músicas e imagens em movimento. Gostava de ter a tecnologia à sua disposição. Nos últimos meses, e depois de vender muitos quadros com bois-de-reis retratados nos desenhos coloridos e miúdos das chitas, resolveu inovar. E passou a concebê-los em traços e linhas retas, numa espécie de cubismo diluído nas formas do boi. Pensava em fazer uma grande exposição aqui e, depois, fora de Natal. E trabalhava ouvindo músicas, algumas vezes velhos e tristes boleros contando histórias de amor; e ainda Nana, Caetano, Caymmi, Chico Buarque. Tinha um olho pregado nas loucuras do mundo e com ele filtrava toda sua criatividade de artista. Lembro do dia em que chegou no alpendre e convidou para conhecer um novo trabalho. Os oratórios profanos que estava montando. Reunia em caixas em forma de velhos e piedosos oratórios de rezas antigas, o sagrado e o profano. Imagens de santos e de ex-votos, mulheres nuas e homens pagãos, como se tivesse criando uma humanidade mais verdadeira. Gostou de viver uns tempos em Paris e viajar por alguns países europeus; e também de uma temporada nos Estados Unidos. Gostava de viagens longas, de alguns meses, como se os seus olhos exigissem dele demoradas contemplações. Tinha uma vida espartana, despojada de todos os luxos, a não ser o luxo indispensável de ser artista e de ter na arte sua única chance de ser feliz. Comia pouco, gostava de café e de cigarro, e alguns dias tinha o gosto de conversar. Quando não existia a ponte e no inverno a Redinha ficava apenas com seu povo humilde, morador de suas ruas e becos, ficava surpreso quando chegava com Rejane para o fim de semana. Ouvia o barulho do carro entrando na garagem e logo aparecia, aceitava um café e puxava conversa. Mas, se por acaso estava sem sair há dias, perguntava com um sorriso fugindo pelo canto da boca como quem não esperava ouvir novidades: 'Notícias da Capital?'. Ah, ninguém ocupará aquela casa. Na plenitude de um homem tão sozinho e tão cheio de hóspedes, no silêncio surdo de cada quadro, de cada escultura. Como se a assombração de uns e a sublimidade de outros construíssem um mundo estranho e belo. Invenção de um artista que, vivendo na praia, não gostava do verão. Por isso, todos os anos, esperava a quarta-feira de cinzas chegar. Só para viver a doce melancolia de um mar sozinho. Sem nada. Sem ninguém.




segunda-feira, 3 de novembro de 2008

FOTOS DO LANÇAMENTO DO LIVRO

AS FOTOS DO LANÇAMENTO DO LIVRO  "GENEALOGIA DOS TRONCOS FAMILIARES DE GOIANINHA-RN", já se encontram disponibilizadas no endereço: 

http://ormuzbarbalhosimonetti.gigafoto.com.br/

Abraço a todos,

Ormuz Barbalho Simonetti

terça-feira, 21 de outubro de 2008

O Jornal de Hoje - 21 de outubro de 2008

O Jornal de Hoje

 Natal, 21 de outubro de 2008.

 

  Cena Urbana

Colunista: Vicente Serejo

E-mail: serejo@zas.com.br

 

 

GLÓRIA
Por falar em genealogia, Ormuz Barbalho Simonetti vai do Colégio Brasileiro de Genealogia-Rio de Janeiro, Instituto Histórico e Geográfico- RN e Instituto Genealógico e Heráldico da Paraíba. E viva Ormuz!

 

quarta-feira, 15 de outubro de 2008

quarta-feira, 27 de agosto de 2008

TRIBUNA DO NORTE - WODEN MADRUGA


Colunas


Jornal de WM
Por Woden Madruga Esta coluna é atualizada diariamente
04/09/2008

Goianinha Sábado, 6, começa a VII Semana de Arte e Cultura de Goianinha. Vai até o dia 12 com uma programação que passa pelas comemorações do dia da Independência.Na segunda-feira, 8, haverá o lançamento do livro de Ormuz Barbalho Simonetti, “Genealogia dos Troncos Familiares de Goianinha”, às 19 horas na Casa de Cultura Antônio Bento.

COLÉGIO BRASILEIRO DE GENEALOGIA

Colégio Brasileiro de Genealogia
Fundado em 24 de junho de 1950




Rio de Janeiro, 30 de agosto de 2008.



Ilmo. Sr.
ORMUZ BARBALHO SIMONETTI
Natal - RN.



Prezado senhor:


Temos a honra e a satisfação de informar que, em reunião de 26 de agosto de 2008, a Diretoria do Colégio Brasileiro de Genealogia decidiu aprovar, por unanimidade, as propostas dos sócios Regina Cascão Viana e Hugo Forain Jr. para a admissão de V.Sª como


SÓCIO COLABORADOR


no Quadro Social desta Instituição. Correspondência de igual teor, em papel, seguirá pelos Correios, acompanhado da carteira de associado.

Ao tempo em que enviamos congratulações, apresentamos nossos protestos da mais elevada estima.

Atenciosamente,


Regina Cascão Viana
Diretora 1ª Secretária

CONVITE PARA A VII SEMANA DE ARTE E CULTURA DE GOIANINHA-RN

Convite

O Prefeito de Goianinha, Rudson Raimundo Honório Lisboa, e o Secretário Municipal de Educação e Cultura, Rudemberg Honório Lisboa, têm a honra de convidar V. Sª. e família para prestigiar as atividades da VII Semana de Arte e Cultura de Goianinha, a realizar-se no período de 06 a 12 de setembro de 2008, com momentos culturais e exposições no Centro da Cidade.



VII Semana de Arte e Cultura de Goianinha
“Um Mergulho na Literatura”


Programação


Dia 06/09/2008 (Sábado)

15h30min. - Abertura oficial
- Desfile das escolas em praça pública.

Dia 08/09/2008 (Segunda-feira)

7h. – Saída do fogo simbólico (Tibau do Sul)
9h30min– Chegada do fogo simbólico à praça pública
(Goianinha).
– Hasteamento da Bandeira.

19h - Lançamento do Livro “Genealogia dos Troncos Familiares de Goianinha-RN” de Ormuz Barbalho Simonetti, na Casa de Cultura Antônio Bento.

Dia 09/09/2008 (terça-feira)

8h às 11h
13h30min às 16h30min –Exposições no centro da Cidade.

19h. – Momento Cultural no Centro da Cidade.


Dia 10/09/2008 (quarta-feira)

8h às 11h
13h30min às 16h30min –Exposições no centro da Cidade.


19h. – Momento Cultural no Centro da Cidade.


Dia 11/09/2008 (quinta-feira)

8h às 11h
13h30min às 16h30min – Exposições no centro da Cidade.


19h. – Momento Cultural no Centro da Cidade.


Dia 12/09/2008 (Sexta-feira)

20h. – Momento Cultural no Centro da Cidade.

– Encerramento com Show ao vivo.

Depoimento de Domingos Sávio Barbalho de Medeiros - 26.08.2008

De:
uti.domingos@liga.org.br uti.domingos@liga.org.br
Assunto: livro genalogia goianinhaPara: ormuzsimonetti@yahoo.com.br
Data: Quarta-feira, 27 de Agosto de 2008, 15:23
Caro amigo primo Ormuz,estou de cara sobre o seu livro aqui no consultório de Arnilton, na sala de espera, me deleitando com este fantástico trabalho que me impressiona tanto com a arte e qualidade da impressão como também pelo seu conteúdo.Bem aventurado aquele que se preocupa e não deixa morrer, pelo menos, a memória de seus antepassados. Porque é deles vem toda a experiência passada de pai para filho e toda a história que faz de cada um uma pessoa ímpar.E é desse relacionamento imbricado, dessa mesclagem de outras famílias, desse paradoxo de ordem anarquizada que advem a diversidade que garante a vida neste planeta.Gostaria de agradecer, como familiar citado nesta obra, por você não ter deixado permitir a nossa passagem nesta vida de forma obscura e só lamento que a minha filha Camila de Queirós e Medeiros não tenha nascido a tempo de ser publicada junto a mim e a minha esposa Rúzia Lopes de Queirós e Medeiros. Fica para a próxima edição!Mais uma vez obrigado. Valeu o esforço. Ficou muito bom mesmo. Parabéns!
Domingos Sávio Barbalho de Medeiros

domingo, 17 de agosto de 2008

TRIBUNA DO NORTE - 20.08.2008 -Goianinha revista no tempo -Ticiano Duarte

Valter Fontoura, velho amigo e conterrâneo, pediu-me para adquirir o livro, “GENEALOGIA dos troncos familiares de Goianinha-RN”, de autoria de Ormuz Barbalho Simonetti, dizendo-se convidado para o lançamento festivo, ocorrido há poucos dias, mas, impossibilitado de faze-lo, por conta de outros compromissos em São Paulo, onde reside.Não li ainda a longa relação das famílias e descendentes ali citadas, mas, na ligeira consulta feita encontro os Fontoura da linha ancestral de Valter, espalhados nos municípios que ficam nas redondezas de Santo Antônio do Salto da Onça.Fui menino viajando por aquelas terras dos Barbalho e Simonetti. Meu pai tinha ligações afetivas com muitos deles (José, João e Luiz), com os proprietários do “Bosque”, onde ali ia buscar aguardente de primeira cabeçada, produzida para consumo especial dos amigos da família.Cascudo que é transcrito, no livro, com duas “Àctas Diurnas”, “Em louvor de Goianinha” e “Que deve o Rio Grande do Norte a Goianinha?”, relatando entre outras coisas o folclórico anedotário que corria na região do agreste e na capital, a propósito da avarícia e da frugalidade do seu povo. “Quando almoçam o fazem nas gavetas abertas para, no minuto que a visita se anuncia, fazer desaparecer, provisoriamente, a refeição”.Menino, morando em Nova Cruz, ouvi muitas anedotas sobre Goianinha, conhecida como a terra do muçu. Os estudantes que viajavam de trem com destino a Recife, nos tempos das aulas e férias, na parada da estação do trem em Goianinha, faziam blagues, piadas e ironias, Quando o trem dava saída, começavam a gritar, “olha o muçu, olha o muçu...”.Certa feita, o incorrigível Morvan Dantas, filho do desembargador Virgílio Dantas, arrancou o chapéu do prefeito, que estava em pé, frente ao vagão repleto de estudantes. Era a respeitável figura do velho Cabral Fagundes, depois proprietário de farmácias em nossa capital:- Seu Cabral, cadê o muçu?O trem em vez de dar partida, foi abastecer o vagão que conduzia água. Voltou e o prefeito entrou com dois policiais para prender Morvan. Este, astuciosamente, escondeu-se no sanitário e escapou de uma surra.De Goianinha conheci e queira bem a quatro amigos de infância: Hugo de Araújo Lima, Inácio Grilo, Luiz Bezerra de Araújo Lima e Paulo Barbalho. Este último mais ligado pela convivência quase diária, no tempo de estudante e depois nas lutas partidárias, nas campanhas memoráveis, sob à liderança de Aluízio Alves.Hugo Lima era proprietário rural e homem de bem. Inácio Grilo, colega do velho Marista, corajoso, filho de magistrado e intelectual, transferiu-se logo cedo para o sul do país. Atuou no jornalismo com sucesso. Voltou à terra, cansado das agitações do Rio e São Paulo. E hoje está em pleno vigor, morando em Natal. Luiz Bezerra de Oliveira Lima, companheiro de lutas estudantis, ingressou no Banco do Brasil, transferindo-se para Salvador, na Bahia.Goianinha como relata Cascudo, deu ao Estado filhos ilustres e muitos deles conheci de perto, magistrados, profissionais liberais, políticos, proprietários rurais.No anedotário popular corria a estória, pilhérica, de um mascate turco, que passara muita fome em Goianinha e ao despedir-se da cidade gravara uma quadrinha na parede de um sanitário de um bar: “Gonanina, Gonanina, nunca mais me verás tu. Criei ferrugem nos dentes e teia de aranha no c...”. Mas Alfredo de Araújo Cunha ao avistar a cidade, está na história de Cascudo, exclamara: “Goianinha pátria dos anjos”.Acho, também, que é ingrato o anedotário de ridicularia à Goianinha. Ao contrário, o seu povo é hospitaleiro e cordial. E cito o, exemplo de Paulo Barbalho. Sua casa, na fazenda “Benfica”, alpendrada, estava aberta diuturnamente para receber os amigos e os que lhe batiam à porta. Ninguém recebeu melhor neste Estado do que Paulo Barbalho. Mesa farta e exagerada. Ele fazia questão de receber fidalgamente, com a sua companheira Júlia, desmentindo a hipócrita e injuriosa versão que o povo de Goianinha era mesquinho e inóspito.Goianinha nos deu André de Albuquerque Maranhão; o primeiro bispo de Natal, Joaquim Antônio de Almeida, Dr. José Maria Castelo Branco. Que saudade de Paulo Barbalho, homenageado no livro de Ormuz, seu sobrinho. Ele devotou um profundo amor ao seu povo, que defendia como se fosse sua própria família. Ao rememorar os tempos de convivência, lembro o poeta: “Maravilhoso é o mundo que fundaste na fonte de uma infância que esperamos jamais estanque, nem se desvaneça”.

DIÁRIO DO PARÁ - 17.08.2008 -

Colunista Vera Castro do Diário do Pará, domingo 17.08.2008

NOITE DE AUTÓGRAFOS

Rudison Honório Lisboa prefeito de Goianinha-RN, Diógenes da Cunha Lima, Presidente da Academia Norteriograndense de Letras quando apresentava o autor, Ormuz B. Simonetti e o escritor e jornalista Vicente Serejo.

quinta-feira, 7 de agosto de 2008

VENDA DO LIVRO GENEALOGIA . . .

VENDA DO LIVRO GENEALOGIA . . . O livro “GENEALOGIA DOS TRONCOS FAMILIÁRES DE GOIANINHA-RN” podem ser adquiridos nas livrarias, SICILIANO, COOPERATIVA CULTURAL UNIVRSITÁRIA, LIVRARIA CÂMARA CASCUDO E POTI LIVROS todas em Natal RN.Para outras cidades e outros estados pode ser solicitados pelo e-mail ormuzsimonetti@yahoo.com.br , e o envio será pelos correios via SEDEX ou PAC.Preço do livro R$ 80,00, peso 1,900 e as despesas de envio será acrescida ao preço do livro.
BANCO - BANCO DO BRASIL S/A
CONTA PARA DEPÓSITO - 7.840.900-4
Agência - 1042-1 - CEARÁ-MIRIM RN

Jornal de Hoje - 07/08/2008


Jornal de Hoje - 07.08.2008


FALA DE AGRADECIMENTOS DO AUTOR

Inicialmente agradeço as gentis palavras do Prof. Diógenes da Cunha Lima que inclusive nos deu a honra de prefaciar nosso trabalho, como também a do jornalista e escritor Vicente Serejo que muito nos honrou com sua fala. Agradeço também as palavras de Ana Maria Barbalho e a Prefeitura de Goianinha, na pessoa do prefeito Rudson Lisboa, aqui presente, patrocinadora deste evento.
Gostaríamos, igualmente, de agradecer a presença dos senhores e senhoras dizendo da nossa grande satisfação pela possibilidade e oportunidade de estarmos hoje reunindo tantos “parentes” que, na maioria, ainda nem se conhecem. Mesmo não sendo esta a principal finalidade, consiste na mais agradável conseqüência dessa pesquisa.
Esta noite nos será inesquecível, e realmente gratificante para todos que aqui comparecerem. Pois temos a certeza que, de agora em diante, muitas amizades serão iniciadas. Despertaremos para a nova emoção de descobrir parentesco com pessoas conhecidas, com as quais nunca imaginávamos possuir laços familiares, além de outras que a partir de hoje passaremos a conhecer e querer bem.
Os que residem em outras cidades e outros Estados e nos prestigiam com suas presenças, partilham também desse grato desejo de conhecer, outros parentes. Fazemos votos que, de hoje em diante, a exemplo de nossos pais e avós, possamos indagar sobre nossos antepassados nas reuniões em família.
Retomemos essa prática tão construtiva, bastante comum nos lares de ontem, mas totalmente esquecida pelas novas gerações.
Essa pesquisa genealógica que reúne e entrelaça 8 (oito) troncos familiares, começou efetivamente há poucos anos atrás, porém, o desejo latente de fazê-la era bastante antigo. De início não pretendíamos um levantamento genealógico, mas apenas uma recuperação da memória familiar de Goianinha, através de antigas fotografias coletadas junto a parentes.
Entretanto, movidos pela curiosidade de saber quem seriam aquelas pessoas que nos chegavam através das velhas fotos, resolvemos iniciar, sem maiores anseios, mas com muita vontade, essa pesquisa genealógica que hoje, com muito orgulho, entregamos à nossa cidade, ao nosso estado e, por que não dizer, a todos os lugares por onde se tenham espalhado os descendentes do capitão-mor Bento Freire do Revoredo.
Após três longos anos de intensa procura, sentimos chegada à hora de apresentar nossos achados e resultados. Além disso, teremos oportunidade de aperfeiçoar os dados catalogados.
Como a maioria dessas informações são ditadas de memória, a possibilidade de erro estará sempre presente. Para isso contamos com a colaboração de todas as pessoas que tenham acesso a essa pesquisa, e que, eventualmente, deparem com algum dado incorreto. Estaremos sempre abertos para as devidas correções.
Quando optamos por acrescentar, ao nome de cada indivíduo pesquisado, seis (6) anotações pessoais: (data de nascimento, casamento e óbito, também indicando os locais onde ocorreram tais eventos), assumimos o risco de aumentar significativamente a margem de erro. Porém, consideramos essas informações de vital importância para o estudo genealógico, pois além de localizarem os indivíduos nas suas respectivas épocas, determinam com muita propriedade, a rota migratória dos ramos familiares em estudo.
Queremos ainda dizer aos presentes que essa pesquisa somente tornou-se possível porque contamos com a inestimável ajuda de pessoas que acreditaram na sua realização, apesar da triste indiferença de alguns poucos. Um trabalho desta monta, não é possível ser executado por uma única pessoa. Somente com a ajuda desses gentis colaboradores, muitas vezes, ainda nossos desconhecidos, conseguimos juntar, no corpo desse livro, mais de 12.000 almas.
Alguns desses colaboradores, ao longo da pesquisa, ficaram nossos amigos, mesmo sem nunca termos contato pessoal. Uns chegaram a revelar o desejo de haver feito algo semelhante. Outros confidenciaram que, em algum momento de suas vidas, iniciaram trabalho genealógico, infelizmente, não concluído. Todavia movidos pelo mesmo desejo: identificar seus parentes e principalmente seus antepassados.
Anunciamos que duas outras genealogias estão sendo preparadas e serão publicadas separadamente: A Genealogia da Família Fagundes, que deveremos lançar até o final do ano de 2009 e a Genealogia da Família Marinho, ainda sem data prevista para seu lançamento. Esses trabalhos serão acrescidos de mais um importante ingrediente: A fotografia. Daremos, na medida do possível, uma fisionomia a cada pessoa. Isso certamente vai enriquecer a pesquisa genealógica, além de, dentro do possível, oportunizar aos leitores conhecer os rostos dos indivíduos catalogados.
Porém, além de tudo, consideramos de grande importância nesse trabalho, o destino dado a grande parte dos recursos obtidos com a venda do livro. A ajuda aos mais necessitados. Nossos beneficiários serão alguns daqueles abnegados que abrem seus corações e seus lares para amar e abrigar velhos esquecidos e crianças abandonadas. Esses anjos de bondade, apesar do pequeno salário, têm um grande espírito e um enorme desejo de servir ao próximo. São verdadeiros heróis anônimos por conseguirem, Deus sabe como, ganhando tão pouco, ajudar a tantos. E nós pretendemos, daqui por diante, fazer parte da vida e da solidariedade dessas pessoas.

Muito obrigado.

NOITE DE AUTÓGRAFOS

EDUARDO RODRIGUES SOUZA E BETHÂNIA BARBALHO SOUZA

NOITE DE AUTÓGRAFOS

EDUARDO RODRIGUES E BETHÂNIA SOUZA POR OCASIÃO DO AUTÓGRAFO.

NOITE DE AUTÓGRAFOS


EDUARDO RODRIGUES DE SOUZA E BETHÂNIA BARBALHO SOUZA

REPRESENTANTES DA FAMÍLIA BARBALHO DE BELÉM DO PARÁ , VIERAM ESPECIALMENTE PARA O EVENTO.

NOITE DE AUTÓGRAFOS


NOITE DE AUTÓGRAFOS


NOITE DE AUTÓGRAFOS


NOITE DE AUTÓGRAFOS


NOITE DE AUTÓGRAFOS


NOITE DE AUTÓGRAFOS


Rudson Lisboa(Prefeito de Goianinha-RN) Ormuz B.Simonetti e o professor e escritor Diógenes da Cunha Lima (Presidente da Academia Norteriograndense de Letras)

NOITE DE AUTÓGRAFOS


NOITE DE AUTÓGRAFOS


TOINHO SILVEIRA - 07.08.2008

Tinteiro
6 de Agosto de 2008 @ 10:27 por Toinho Silveira
Será nesta quinta-feira, dia 07 de agosto às 19h, no Boulevard Recepções, a noite de autógrafos do livro “Genealogia dos Troncos Familiares de Goianinha-RN”, do amigo Ormuz Barbalho Simonetti. Nós vamos!
Arquivado sob Versátil News Comments Off

DIÁRIO DE NATAL 07.08.2008


DIÁRIO DE NATAL 07.08.2008- CASSIANO ARRUDA


TRIBUNA DO NORTE- 07/08/2008


TRIBUNA DO NORTE- 07/08/2008


TRIBUNA DO NORTE- 07/08/2008


TRIBUNA DO NORTE- 07/08/2008 -WODEM MADRUGA


TRIBUNA DO NORTE- 07/08/2008 -NOTAS E COMENTÁRIOS


PRESIDÊNCIA DO SENADO FEDERAL