quarta-feira, 22 de outubro de 2014

PRONTO PARA FAZER HISTÓRIA

Publicação: 2014-10-21 - TRIBUNA DO NORTE - CADERNO VIVER


Yuno Silva
Repórter

O acervo  da mais antiga instituição cultural do Estado ainda não está disponível para pesquisa, mas a estrutura física do Instituto Histórico e Geográfico do RN apresenta nítidos sinais de recuperação: as infiltrações foram sanadas, as cadeiras e o piso do auditório substituídos, parte dos móveis antigos estão restaurados, o banheiro foi refeito e a parte externa ganhou mais que uma mão de tinta. Embora seu funcionamento não esteja pleno, as portas voltaram a abrir e a equipe já trabalha na limpeza de livros e documentos antigos que que remontam a época das Capitanias do Brasil Colônia. A reestruturação do prédio é a primeira etapa do projeto de modernização da entidade.

No próximo dia 5 de novembro, a diretoria do Instituto Histórico e Geográfico do RN promove evento que pontua a reabertura oficial do lugar. Também em novembro, em data não definida, a entidade abriga lançamento do livro “1964 na Visão do Ministro do Trabalho de João Goulart”, do político e ex-ministro Almino Monteiro Álvares Affonso, neto de é neto do ex-Senador Almino Álvares Affonso, família que traz em sua raiz genealógica origem potiguar.

“Agora nossa expectativa é quanto a liberação de mais recursos, firmados em convênio e emendas parlamentares, para avançarmos na organização e digitalização do acervo”, disse Ormuz Barbalho Simonetti, vice-presidente do Instituto Histórico. Ele explicou que os serviços em curso no IHGRN foram realizados com os R$ 200 mil liberados pelo Governo do RN, ou metade do valor da emenda parlamentar aprovada por unanimidade pela Assembleia Legislativa.

Com o dinheiro que resta em caixa, o troco desses R$ 200 mil liberados pelo Governo do RN, a direção da entidade pretende instalar uma plataforma para tornar o Instituto completamente acessível e promover melhorias no sistema hidráulico. O novo paisagismo do jardim está à cargo da Prefeitura/Semsur.

Além do restante da emenda parlamentar (aprovada pela AL) a ser repassada pelo Estado, ou outros R$ 200 mil que segundo Ormuz “estão previstos no orçamento, empenhados e devem, no mínimo, entrar na lista de restos a pagar para o próximo ano”, a direção do IHGRN também quer garantir mais R$ 30 mil destinados ao Instituto pelo Município, via emenda na Câmara de Vereadores. “Como o Instituto não possui renda própria, temos que aguardar”, informou.

Simonetti lembrou que há ainda R$ 550 mil aprovados pelo Ibram (Instituto Brasileiro de Museus), que suspendeu a tramitação do processo devido o período eleitoral, para viabilizar a catalogação e a digitalização do acervo; e um convênio com a Secretaria Estadual de Educação para aquisição de estantes deslizantes que irão otimizar o espaço e a organização do acervo.

O projeto de modernização do IHGRN está previsto para ser concluído em quatro anos, e nos planos para 2014 consta formalização da parceria técnica com o Departamento de História da UFRN. O Instituto Histórico e Geográfico do RN acumula 112 anos fundação. Em 1984, foi tombado pelo patrimônio histórico.

Nenhum comentário: